sábado, 13 de abril de 2019

Fachadas do Palácio da Necessidades...


Acontecimento raro, o 
Palácio das Necessidades 
teve hoje as portas abertas para 
trinta visitantes.
Tive a sorte, mais o amigo Márcio David,
de fazer parte deste grupo de felizardos.

Maravilhosa visita, guiada pelo senhor
Embaixador Manuel Corte-Real,
historiador apaixonado pela história do Palácio
e autor do livro "O Palácio das Necessidades".

A visita iniciou no exterior,
com a explicação da razão do Palácio ter nascido
num lugar tão discreto, no meio do casario,
com o rio como paisagem.

Num tempo em que a peste tomou conta da cidade
e as pragas matavam famílias inteiras,
um casal Lisboeta, refugiou-se na Ericeira
para escapar à epidemia.
Todos os dias rezavam a uma imagem 
de Nossa Senhora da Saúde.

 Crentes que Ela os salvou,
de regresso a Lisboa, trouxeram a imagem
e construíram uma capela 
que depressa ganhou notoriedade.
A proximidade com o Cais de Alcântara,
fazia acorrer à capela gentes do mar,
que acreditavam nos milagres da
Senhora da Saúde ou das Necessidades.

Dom João IV passou também a visitar a capela
e a levar a imagem até ao Paço,
para curar as suas enfermidades.
O mesmo aconteceu com Dom João V,
que para não desagradar o povo,
acabou por decidir construir ali um pequeno Paço,
deslocando-se ele doente até à imagem.

Assim foi construído o Palácio
ao qual se juntou um convento,
onde a Congregação do Oratório leccionava 
teologia, humanidades, ciências e matemática.

Desde 1950, após obras de adaptação
do arquitecto Raul Lino,
que ali se instalou o 
Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Deixo alguma imagens do exterior:
Fachadas do 
Palácio da Necessidades...



























Benvinda Neves



Sem comentários:

Enviar um comentário