sábado, 14 de julho de 2018

Há dores que não serão nunca comparáveis





Quase tudo na vida se compara
e como humanos que somos, 
temos tendência para o fazer.

Comparamo-nos a nós e aos outros,
como se tivéssemos que ser iguais
ou como se comparação seja conforto.

Mas há dores que não serão nunca comparáveis
e que não sabemos como confortar,
porque nunca estaremos preparados para elas.

Olhar a tristeza profunda 
dos olhos de uma mãe que perdeu um filho,
deixa-nos impotentes perante tão grande dor.

É a contradição da lei da vida,
é a crueldade de ter que se aceitar viver
quando a morte na sua passagem levou também parte da sua alma.

Nada se compara à dor de perder um filho... 
não encontramos palavras para confortar, 
não sabemos descrever,
mas jamais esqueceremos a tristeza daquele olhar.



Benvinda Neves


Sem comentários:

Publicar um comentário