Google+ Badge

domingo, 6 de outubro de 2013

Guiamo-nos pelos acordes da nossa alma…



Guiamo-nos pelos acordes da nossa alma…

É como se uma papoila apaixonantemente bela e frágil
Pudesse nascer coberta de espinhos,
Assim são os ecos dos silêncios que não entendemos,
Porque todo o silêncio deveria ser lido no coração.

Às vezes plantamos sementes,
Que geminam em sonhos gotejados com lágrimas,
Porque das sementes que lançamos à terra
Nasce a esperança,
Que um dia floresçam.

Admiramos o canto e achamos a liberdade irresistível,
Desejamos por isso ser pássaros
E nem nos ocorre que há aves que tendo asas vivem no chão,
Por vontade, ou simplesmente por não precisarem voar.

Guiamo-nos pelos acordes da nossa alma…
Que às vezes são alegres e barulhentos,
Outras, tristes e melancólicos,
Mas é do equilíbrio entre os dois
Que compomos os nossos dias.

A imortalidade dos sonhos
Resulta das Primaveras constantes
Que ocorrem dentro de nós.

Que bom sabermos
que haverão sempre muitas Primaveras...


Benvinda Neves

Outubro 2013