Google+ Badge

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

"Exposição INTRARTE"

"Exposição INTRARTE"
Um grupo de Jovens da Faculdade de Belas Artes,
da Universidade de Lisboa,
juntou-se num projecto de solidariedade
e foram conhecer as três Aldeias de Crianças SOS,
existentes em Portugal.
Segundo testemunho que ouvi dos próprios,
ficaram muito surpreendidos com a observação das 
crianças no seu ambiente familiar, em cada uma das Aldeias.
Esperavam ver crianças triste e estigmatizadas,
por estarem institucionalizadas
e o que viram foram crianças sorridentes e felizes,
iguais a todas as crianças (dito pelos mesmos).
Do conhecimento e experiência, 
resultou a "INTRARTE", 
como forma de expressarem o que sentiram 
e os sentimentos que encontraram em cada criança.
As crianças foram convidadas pelos jovens
a expressarem-se através de palavras ou desenho,
o mesmo fizeram os jovens, 
através dos seus trabalhos em arte plástica.

Está patente no Casino Estoril a exposição itinerante,
depois de ter passado pelo Porto, Guarda e Lisboa.
Os trabalhos das crianças serão no final
entregues às Aldeias SOS
os trabalhos dos jovens Universitários
encontram-se em leilão online, através do site: 

https://esolidar.com/npo/store/114-aldeias-de-criancas-sos-de-portugal

até ao dia 30 de Novembro.
A receita reverte na integra para a 
Associação das Aldeias de Crianças SOS.

 Estive presente na abertura no dia 17
e deixo o meu testemunho do momento,
com algumas explicações que foram dadas pelos artistas
que nos fazem ver as obras "com olhos diferentes".







(os grandes organizadores: Catarina Guedes e Tiago Ribeiro)

Os trabalhos das Crianças:
Com a ajuda dos artistas:
 o 1º "S" feito pelos meninos da Aldeia de Gulpilhares,
o "O" pelos meninos da Aldeia da Guarda e o
 2º "S" pelos meninos da Aldeia de Bicesse.











Olho estes quadros e sinto que:
 as crianças que os desenharam, são felizes

Alguns dos trabalhos dos Artistas:






-Um balão feito de balões coloridos, que representam a felicidade
que encontraram nos rostos das crianças. As casas penduradas
no balão, como os sonhos realizados de cada uma dessas crianças.
Um baloiço e umas mãos dadas, que representam o poder brincar
e crescer em segurança, Um baú cheio de todos os brinquedos
que fizeram parte da infância, como símbolo dos laços que unem
para sempre todas estas crianças às Aldeias, o poderem voltar
e rever aquele que foi o seu lar e os que serão sempre a sua família.
Por fim três cubos como um só: as três Aldeias 
em lugares diferentes, mas como uma só família. 

Um agradecimento muito especial
a estes generosos Jovens.

Agradecimento também ao
Casino Estoril 
pela disponibilidade do espaço.

Alguns momentos da inauguração da exposição:











 Benvinda Neves