sexta-feira, 10 de maio de 2019

As Ruínas do Carmo...


São um dos principais testemunhos 
da catástrofe que foi o grande
terramoto de 1755, em Lisboa.

As Ruínas do Carmo...
são o que resta da Igreja do Convento do Carmo,
fundado em 1389 por D. Nuno Alvares Pereira.
Pertencia aos frades da Ordem das Carmelitas,
tendo D. Nuno doado os seus bens ao convento 
e ingressado nele como religioso.

Foi a principal igreja gótica da capital,
tendo o terramoto e os incêndios 
destruído a igreja e o seu recheio.
Iniciaram-se obras para reconstrução, 
no reinado de D. Maria I,
sendo interrompidas em 1834 
com a extinção das ordens religiosas.

Em meados do século XIX optou-se 
por manter como estavam, uma vez que imperava
 o gosto pelas ruínas e monumentos medievais.

Continuam a ser hoje um dos símbolos de Lisboa,
atraindo muitos visitantes.
O convento é desde 1836 instalação militar, 
sendo sede da Guarda Nacional Republicana.
um corpo da igreja e o coro, 
cujo telhado resistiu ao terramoto,
foi requalificado e funciona como
 Museu Arqueológico.



































Benvinda Neves



Sem comentários:

Enviar um comentário