domingo, 10 de fevereiro de 2019

O meu irmão Jó partiu...


(imagem dos arquivos das Aldeias de Crianças SOS)


Dias tristes...
é sempre tão dificil lidarmos com a morte.

Escrever, é para mim
a melhor forma de libertar os sentimentos,
por isso aqui estou, a partilhar um bocadinho desta dor.

Ficaram célebres há 51 anos,
 na Aldeia de Crianças SOS de Bicesse,
"os gémeos."
Primeiro porque a minha mãe faleceu de parto
e eles foram as crianças mais pequenas que entraram na Aldeia,
tinham apenas 15 dias - durante muitos anos eram os "bebés".
Mais tarde, mais conhecidos ficaram pelas suas tropelias,
sempre em conjunto.

Há dois dias o Mário Jorge, teve um AVC
e não foi médica-mente possível salva-lo.
Tive tanta esperança no primeiro dia,
mas ontem todos os seus órgãos estavam  vivos,
menos o cérebro.
Tão triste e tão estranho termos que nos despedir,
quando a médica nos disse que estava medicamente morto
e nós o sentíamos quente e com o coração a bater.
Hoje alguns dos seus órgãos irão salvar outras vidas.

O Jó será sempre o bebé a quem mudei as fraldas,
a quem dei banho, papa, colo e sequei muitas lágrimas.
O adolescente que ouvi sempre que se desiludiu 
e o adulto com quem partilhei muitos momentos
e que apesar de nos desentendermos 
e termos tido anos de casmurrice,
não deixou de trazer a mulher com o filho à minha porta,
para não os privar da minha companhia.

Somos assim nós humanos, 
complicados na forma de gerirmos os sentimentos,
mas impossível não amarmos
sangue do nosso sangue.
Se fosse possível, daria a minha vida em troca,
por qualquer um dos meus irmãos.

O meu irmão Jó partiu
e no meio da dor, como crente,
acredito que Deus receberá o seu espírito
e que um dia todos nos reencontraremos.
Talvez a minha mãe tenha finalmente 
abraçado o seu menino e o tenha conduzido ao Pai.

Aos amigos crentes,
peço uma oração.


Benvinda Neves






quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

"Agradecer e Aceitar"...


Somos complicados,
queremos sempre entender tudo
e fazemos demasiadas perguntas,
enchendo o nosso intimo de duvidas e incertezas.

Quando somos crianças, 
a "Aceitação"...
faz parte natural do nosso ser.

Para uma criança
Aceitar - é a coisa mais natural.
Não se questiona se vai brincar na rua
porque chove ou faz sol,
nem se aquele é o amigo certo ou errados,
pois o importante é brincar e ter companhia.

A incerteza e o preconceito
são directamente proporcionais
ao nosso estado de adultos.
À medida que perdemos a inocência,
perdemos a capacidade de aceitar
e tornamo-nos complicados e exigentes.

Descobrimos que estamos a envelhecer,
quando deixamos de nos preocupar
se faz sol ou chuva, pois o importante é ter amigos,
para sair e  conversar
e passamos a 
"Agradecer e Aceitar"...

A vida é cíclica
e o tempo é o grande mestre da humildade
que nos vai ensinando 
que ou vivemos... ou deixamos a vida passar.



Benvinda Neves




"Trilho Ribeira das Vinhas..."


Os nossos sentimentos 
moldam-se à paisagem
e enchem-nos a alma de calmaria...

Uma vez mais:
"Trilho Ribeira das Vinhas..."















Benvinda Neves





A vida será sempre uma procura constante...


Corri no tempo, ou o tempo correu em mim,
não tenho a certeza,
mas ambos nos volatilizamos.

Tantas vezes não sei o que fiz do tempo,
nem o que o tempo fez de mim.

A vida será sempre 
uma procura constante...
em que tento encontrar razão e felicidade.

Como nem sempre encontro razão,
procuro indefinidamente felicidade.



Benvinda Neves





quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Reflexos do fim do dia em Cascais...


O facto de registar os dias,
faz-me ter mais consciência em como é cíclica 
e "repetitiva" a nossa vida.

Passamos vezes sem conta pelos mesmos lugares
e temos rotinas diárias,
que se repetem ano após ano.

Felizmente que a natureza 
é especialista na magia de se apresentar 
diferente em cada dia,
de nos surpreender e  arrebatar com a sua beleza.

Reflexos do fim do dia em Cascais...













Benvinda Neves




terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

"Passeio Marítimo de Oeiras"...


Semana "azul", em contraste absoluto
com os dias da semana passada, 
chuvosos e cinzentos.

Muito frio pela manhã,
mas à hora de almoço o sol brilha 
como se fossem dias de Primavera.

Bom para pequenos passeios,
para desanuviar do trabalho
e recarregar energia para a tarde.

Trabalhar perto do mar, é sempre um privilégio:

"Passeio Marítimo de Oeiras"...
tão bonito e tão relaxante para caminhar.




















Benvinda Neves