segunda-feira, 20 de maio de 2019

"Festival de Máscara Ibérica 2019"...


Decorreu entre 16 e 19 de Maio, o
"Festival da Máscara Ibérica 2019"...

Esta foi a 14ª edição,
que tem sempre muitos grupos participantes
e que vai sendo cada vez "menos Ibérica",
uma vez que tem tido a adesão 
de vários pontos do globo.

É uma grande festa, em que o colorido 
invade as ruas e as tropelias e brincadeiras
convidam cada vez mais o publico a participar.
Para quem não saiba o significado,
celebra-se a Primavera e a passagem dos rapazes 
à fase adulta,
motivo porque são 
"chocalhadas as raparigas solteiras".

Já fui assistir vários anos seguidos
e gosto sempre muito,
pois mantém vivas as  tradições,
ao mesmo tempo que as dá a conhecer ao mundo,
pois de ano para ano tem mais turistas a assistir à festa.

Participaram 50 grupos de mascarados,
Portugal, Espanha, Macau, Colômbia,
Hungria, País de Gales, Sardenha e Uruguai.

Muita animação em Belém,  frente aos Jerónimos,
também com venda de artesanato 
e comes e bebes.














Benvinda Neves



sexta-feira, 17 de maio de 2019

Um olhar pelas Ruas...


Tempo instável, 
com um ventinho desagradável,
que não impediu o habitual 
"descomprimir ao fim do dia".

Ontem o passeio foi por Belém...
com a Nela, amiga desde a infância
e que é sempre óptima companhia.

Aqui fica um olhar pelas Ruas... 
que embora muito mais discretas,
que os seus imponentes monumentos,
nos dizem tanto sobre quem as habita.

Belém é dos lugares mais visitados de Lisboa,
porque ali se situam muitos monumentos, 
como o Mosteiro dos Jerónimos, a Torre, o Padrão
os Museus dos Coches, da Electricidade, da Marinha,
o Palácio Nacional, o Palácio da Ajuda, etc.
São muitos e belos 
os monumentos que se encontram concentrados
nesta zona da capital, para além dos jardins
e do belo passeio junto ao Tejo.

É um lugar muito aprazível para passear
e ir comer o tão famoso 
"pastel de Belém".















Benvinda Neves



quinta-feira, 16 de maio de 2019

quarta-feira, 15 de maio de 2019

"limpezas / devastação"...


Hoje, volto a ter um desabafo,
em relação às
 "limpezas / devastação"...
que são agora moda aqui pelo nosso concelho de Cascais.

Como é possível alguém achar normal 
transformar a paisagem verde num monte de terra seca?

Fui fazer o meu habitual passeio de fim de dia
e escolhi a Ribeira das Vinhas,
que era verde salpicada de branco e amarelo, 
como se vê no registo do dia 28 de Março 
e que hoje é um monte de terra a resvalar
encosta abaixo, para a ribeira.

Na Quinta do Pisão devastaram por completo 
dois montes e deixaram o percurso
que era feito à sombra, à torreira do sol.

Plantaram do outro lado da encosta 
um carreiro de árvores junto às existentes
a delinear o caminho,
que possivelmente irão ter o mesmo fim
que as que plantaram 
ao longo do Trilho da Ribeira das Vinhas,
que foram todas decepadas pela equipa de limpeza.

Em muitos lugares "paga-se" para semear prado sequeiro,
aqui paga-se para destruírem os campos.
Não consigo perceber porque se fazem 
estas destruições.






Benvinda Neves



terça-feira, 14 de maio de 2019

Bonitas pinceladas de cor...


Somos seres selectivos
e claro que também escolhemos o que queremos ver.

Hoje reparei que no Jardim de Oeiras
as Buganvílias acordaram,
como em todas as Primaveras.

Bonitas pinceladas de cor...












Benvinda Neves



segunda-feira, 13 de maio de 2019

"quarteirões de amarelo vivo"...


A Serra está tão linda,
são campos e campos pintados de amarelo.

Como se um artista cansado do verde,
tivesse passado a colorir 
"quarteirões de amarelo vivo"...

Uma Beleza a Primavera - adoro.








Benvinda Neves


domingo, 12 de maio de 2019

"Tertúlia Intimista na Casa das Pedras"...


Realizou-se hoje, mais um dos excelentes eventos
organizados pela Céu e pela Tucha,
para o "Grupo Passos com História".

Desta vez foi uma 
"Tertúlia Intimista na Casa das Pedras"...

É um edifício imponente, tipo "castelo",
do inicio do século XX,
situado na Avenida Marginal,
 perto da Parede, voltado para a 
Praia das Avencas.

Fomos recebidos pelo proprietário,
o senhor João Azevedo Gomes,
que aos 92 anos tem uma memória invejável
e histórias de família, maravilhosas para partilhar.

Entre as muitas memórias de vida,
resumo que é bisneto da condensa D Edla, 
segunda esposa do Rei D. Fernando II.
A casa das Pedras, foi mandada construir pelo seu avô,
Manuel de Azevedo Gomes, um capitão da marinha,
casado com Alice Hensler, filha da condessa D Edla.

Segundo nos contou o senhor João,
inicialmente a casa tinha o nome de "Moledo,"
dado por João Azevedo Gomes,
que era Açoriano e se inspirou nos montes de pedra
com que na sua terra, se protegem as vinhas,
dos ventos vindos do mar,  que as fustigam.

Muitas histórias ouvimos e muitas perguntas fizemos.
Foi uma tarde de "aprender," 
que simplesmente adorei.

Obrigada ao senhor João pela simpatia
e pela partilha da sua vida tão rica.

Obrigada à Tucha e à Céu 
por terem sempre programas tão interessantes
e se disponibilizarem a partilhar.

Que sorte incrível em elas terem criado este 
"Passos com História"...
que eu não me canso de usufruir.









Benvinda Neves