Google+ Badge

domingo, 18 de janeiro de 2015

Há dias...


Há dias...

Há dias em que somos invisíveis...
ninguém nos vê, ninguém nos lê.
Porque assim o desejamos.


Há dias em que enrolamos a alma
na manta dos retalhos vividos
e nos escondemos do mundo.

Há dias em que precisamos de escutar a dor,
para limpar e deitar fora o que guardámos e não nos serve,
e ganhar espaço para encher de novo a alma.

É dificil o desapego, mas sem ele não há renovação.
Prendemos-nos a coisas tão poucas,
quando merecemos muito mais. 


Talvez seja deste tempo cinzento
que me mexe cá dentro,
mas há dias que convidam à introspecção...



Benvinda Neves

Janeiro 2015